Quem está familiarizado com as práticas do Coaching Financeiro sabe que a metodologia ajuda, e muito, na organização de finanças pessoais. O processo atua na investigação dos pontos frágeis que todos os indivíduos têm, avaliando seus pontos fortes e fracos, além de considerar qual é o orçamento real que cada um possui, para que a pessoa aprenda a viver dentro do que lhe é permitido.

A área financeira é, por vezes, um assunto delicado e complicado. Para evitar ou corrigir problemas financeiros é necessário estarmos munidos de conhecimentos e estratégias, estabelecendo metas, planos de ação e o orçamento familiar.

Além de realizar cursos mais profundos, como o de Coaching Financeiro, existem algumas dicas valiosas para quem se importa com uma vida feliz e financeiramente estável:

1. Organize, num ficheiro Excel ou outro aplicativo, as entradas (receitas) e saídas (despesas) mensais;

2. Crie uma meta de médio/longo prazo, estipulando o valor que deseja guardar por mês, conforme o montante que deseja ter no final desta meta. Lembre-se: uma meta tem um prazo para começar e terminar;

3. Avalie se os gastos supérfluos são excessivos e mantenha apenas os que fizerem sentido;

4. Defina quais são os pontos importantes para si e reorganize os seus gastos de modo a economizar em outras áreas do dia-a-dia e poder gastar naquilo que realmente considera relevante.

É importante revisitar valores internos para mudar os hábitos financeiros. Manter uma vida com qualidade e equilíbrio financeiro requer viabilizar a redução de despesas desnecessárias, o aumento dos ganhos, a pesquisa de investimentos que façam o dinheiro crescer e, acima de tudo, uma construção sábia de um futuro rentável.

As ferramentas de Coaching visam promover o autoconhecimento pessoal e encontrar instrumentos que ajudem a identificar pontos fortes e pontos a melhorar, tendo como fim a reorganização da mente e das finanças pessoais.

Quer saber mais?

Conheça o nosso curso online de Coaching Financeiro.

 

Fonte: Administradores.com